Menino travesso

Eduardo Baqueiro 

 

Hoje eu vou me vestir de menino travesso.

Não vou bater na tua porta, não...

Vou pular tua janela.

E não adianta trancá-la,

eu arrombo...

Se estiveres dormindo não faz mal não....

Eu vou chegar de mansinho,

Sem fazer alarde,

para  não te assustares.

Eu chegarei perto de ti,

Apenas sentindo teu cheiro

De loba, de menina, de fêmea

E eu, como um lobo sedento, te acho,

Encho tua boca com minha língua...

Sentirás a pressão de meu corpo sobre o teu,

Te renderás sem nenhuma resistência...

Eu sei...

Deixar- te-ei nua para sentires meu corpo nu

Meus sentidos estarão todos atentos

Para te sentir...

O ritmo do teu corpo

em sintonia com o meu corpo.

Uma só voz, um só corpo, em um só desejo...

Eu te desejo, tu me desejas;

Eu te pertenço, tu me pertences;

Somos donos um do outro,

Somos donos da madrugada,

Somos duas estrelas com o mesmo brilho...

Somos eu e você e nada mais.

Neste momento o tempo há de parar,

As ondas do mar se acalmarão,

O silêncio se calará diante de nosso fogo....

E assistirão, intrépidos, ao nosso show...

Não temos pressa.

O amor se transforma em loucura

E, loucos que somos,

Vivemos este momento único...

 A nossa loucura não termina

Continuamos nossa viagem...

Meu corpo pede o teu

que, faminto, se entrega...

Nossos corpos se falam no contato,

Nossa bocas, sedentas,

se perdem uma na outra;

Nossas mãos se perdem na vastidão

de nossos corpos;

Nosso desejo é que esta eternidade

não termine,

Que nossa fome nunca seja saciada,

Que nosso fogo jamais seja extinto!

Escuto teu choro baixinho,

Pedindo que eu a possua como nunca...

Meu desejo é entrar dentro de você

E explodir para te saciar!

Minha língua, inquieta,

procura teus cantos mais íntimos

E se perde no caminho,

onde a loucura se torna dona de nós...

Chega o momento do nosso êxtase...

Explodimos, um dentro do outro,

Não haverá jamais um momento como este!

Te sinto como jamais senti...

És minha, tão minha, somente minha

assim como eu sou teu...

Eu amo você...