Teu livro 

Eduardo Baqueiro

 

Teu corpo é um livro aberto

Com poucas páginas escritas.

Muitas delas têm minha caligrafia.

Gosto de escrever minhas loucuras

e deixar minha assinatura

em algumas destas páginas.

Talvez o tempo nos separe,

espero que não...

Mas sempre terás as entrelinhas para ler,

sempre que abrires  teu livro.

Sentirás que ainda estarei presente

em tua vida.

Não importa a distância, nem o tempo,

Aquilo que gravar em tuas linhas

será somente nosso...

Mas ainda quero escrever-te  muitas

 páginas,

Mesmo com todas dificuldades

que encontramos,

Sempre teremos tempo de paz...

E, nestes momentos, eu me transformo

no teu menino poeta,

Abro teu livro,

sem pedir licença e escrevo...

Sei que meus poemas te seduzem,

Mas o que mais desejo é que

o que escrevo em teu coração,

em teu livro da vida,

deixe marcas profundas em ti.

Quero que sintas saudades

e desejos de mim...

Quero que nossa loucura

nos faça sempre felizes...

Quero ser sempre teu menino carente.

Carente de teus carinhos,

de teus dengos

e de ti... somente.