Sr Pedro

Eduardo Baqueiro

 

Um amigo, daqueles que sabe

como a gente é de verdade,

Me convidou para conhecer um senhor.

Este senhor está entrevado numa cama

há 27 anos...

Logo de início não quis aceitar o convite,

Não estava a fim de ouvir lamentos

e reclamações.

Mas, depois de algumas insistências,

acabei concordando.

Entramos em um casebre muito pobre,

mas muito limpo e ventilado...

Conheci a companheira de nossa visita

e me surpreendi,

Trazia no rosto sinais de alegria

e tranqüilidade!

Fui imediatamente levado ao quarto

onde nosso ilustre amigo se encontrava...

Ao seu lado três menininhas

que mais pareciam três anjos

prestando muita atenção na história

contada por nosso novo amigo...

Apenas um olhar e entendi o pedido

para que esperasse o final da história.

Sentei-me ao lado

e prestei atenção naquela cena...

Me transportei para o mundo faz de conta

daqueles três anjinhos,

Peguei carona naquela viagem interessante!

Fiquei tão admirado com aquela cena

que quase protestei com as menininhas

o final daquela linda história.

Aqueles três anjinhos saíram do quarto

e fiquei sabendo que eram suas netas.

Após um papo gostoso com as crianças

fiquei a sós com sr Pedro,

Um senhor de 56 anos de idade,

que irradiava alegria e bem estar!

Fiquei intrigado como alguém

que estava condenado daquele jeito

pudesse se sentir confortável e tranqüilo,

e ainda passar isto para todos

que ali estavam.

Sr Pedro falou-me em tom manso e firme:

Como vai você, meu jovem,

que ares te trazem até aqui?

Fiquei sem palavras,

pois não esperava uma recepção assim...

Geralmente,

pessoas que passam por estes problemas

trazem o amargo das frustrações

em torno de si...

Perguntei ao Sr Pedro o porquê desta

alegria, como se nada lhe acontecesse...

Sr Pedro deu um sorriso e me disse:

Ah! você fala deste problema que eu tenho

que me deixou preso nesta cama?

Desculpe-me,

é que eu sempre me esqueço dele...

Então sorrimos e ele me contou:

Isto foi devido ao que as pessoas chamam

de erro médico...

E o senhor, como chama isto?

Filho,

aprendi depois que isto aconteceu comigo

que temos a tendência de acusar

alguém por tudo e qualquer desgraça

que bata à nossa porta...

Mas o tempo é implacável e nos dá

 oportunidades para raciocinarmos melhor

 sobre nossas próprias desgraças.

Eu acredito que o que estou passando agora

 não foi culpa de alguém...

Não cabe a mim julgar ninguém pelas

minhas desgraças...

Eu só poderia ver o erro que esta pessoa

me causou,

mas ela certamente tem seus méritos

e a balança divina é justa...

O tempo não volta

e eu terei que conviver com isto

o resto de meus dias.

No início eu me revoltei

e cheguei a praguejar...

Me tornei uma pessoa insuportável

e passei a ficar só...

Desejava, a todo custo, ver o fim

da pessoa que me deixou assim,,,

Mas um anjo estava ao meu lado:

minha esposa!

Ela me fez ver que as coisas

não precisavam ser assim,

Me fez ver que minha vida

daquele momento em diante

seria assim como você está vendo

Mas, se eu desejasse,

poderia ser útil de alguma forma!

Como passei a ter tempo de sobra

aprendi a ler...

Minha infância foi muito difícil

e não pude freqüentar escola.

Na leitura,

eu descobri um mundo novo e fascinante!

Eu podia aprender coisas que jamais

 aprenderia se não estivesse assim...

Com o tempo,

me adaptei à nova forma de vida.

Com ajuda de minha esposa e meus filhos

eu passei a ser uma pessoa mais alegre

e instruída...

Aprendi que a vida tinha me dado

este caminho para aprender

e ensinar àqueles que sabem

menos que eu...

Compreendi que sempre podemos

dar alguma coisa por mais pobre

que sejamos...

Aprendi o valor de um sorriso a alguém

que se encontra sozinho...

A alma humana é luz que deve iluminar,

onde quer que esteja,

em qualquer condição...

Somente aí pude compreender que Deus

está sempre ao nosso lado,

Somos nós que não ouvimos Seus apelos

para enterrarmos o passado

e simplesmente viver..

A partir deste momento eu me tornei feliz

E pude aproveitar as coisas belas

que a vida me traz...

Como pode ver nestes momentos

que aqui esteve,

estou cercado por anjos...

Não posso reclamar da minha vida...

Eu não consegui dizer mais nada

naquela tarde!

Saí daquela casa simples e humilde

renovado e feliz!

Não fui visitar um inválido,

mas tive o privilégio de visitar um anjo...

Sentia-me envergonhado por reclamar

de coisas tão banais!

Olhei para os céus

e agradeci numa prece muda

E compreendi que o ódio que

o homem carrega ainda é o maior fardo

que lhe pesa nos ombros.

O perdão é o caminho para nossa felicidade

Mas ele se encontra tão longe...

Tomara um dia possamos perdoar...