Não se vá

Eduardo Baqueiro

 

Não se vá, sem antes esgotar todo amor

e todo afeto que tens no peito,

Sem antes ter me

confessado teus mais profundos segredos,

Sem antes ter visto o nascer do sol

sentado numa praia deserta,

Sem ter dançado um bom tango,

mesmo que não saibas dançar...

Sem ter dado um beijo na minha boca, 

boca que tanto namoras...

Sem antes ter chorado todas as suas mágoas,

deixando meu ombro molhado de tuas lágrimas,

Sem ter escrito um poema para mim

confessando que marquei tua vida,

Mesmo que o amor que sentias não mais exista...

Escreva como se eu fosse o único em tua vida

Mas não se vá agora...

Sem ao menos ter feito uma loucura comigo,

Sem ao menos roubar uma rosa para mim,

Sem ter realizado sua mais louca fantasia,

Sem ter gritado ao vento 

somente pelo prazer de gritar...

Sem antes ter vivido

todas emoções que agitam teu peito,

Sem que eu diga tudo que

tenho para te dizer,

Porque não sabemos se teremos uma nova

oportunidade,

Não sabemos o quanto ainda nos resta de vida...

Não quero morrer, deixando para trás

uma gota sequer de arrependimento

por não ter realizado contigo minhas

maiores loucuras.

Somente deixarei você ir se disser

que realmente é isso o que deseja,

Pois assim eu estarei bem e

saberei que você também estará.

Somente então permitirei que digas adeus!