MULHERES
Eduardo Baqueiro
 
 


  
Conheci algumas mulheres
nestes anos em que vivi
  Umas com o rosto angelical
Outras nem tão bonitas
Algumas eram atenciosas
Outras carinhosas...
Algumas mulheres pareciam não ser daqui
Talvez não sejam mesmo,
são tão diferentes!
Algumas me amaram eternamente
Algumas dançavam bem,
outras divinamente
 Algumas eram bruxas
e me enfeitiçaram...
Com poucas algum tempo eu dividi
Outras não souberam do amor aproveitar
e as perdi
Apesar de serem poucas, 
me perdi e fiquei só!
Todas traziam lições estampadas no rosto
Mas nenhuma destas lições eu assimilei...
Me achava o máximo
desprezando algumas mulheres
que cruzavam meu caminho...
Me perdi dentro de tanto talvez,
de tantos senões.
Perdi minhas mulheres,
elas  passaram e eu não vi!
Hoje, sinto saudades
de cada uma daquelas mulheres.
Cada uma foi um tesouro
que o destino me presenteou.
Joguei fora oportunidades
que jamais voltarão.
Hoje não as vejo como simples mulheres
São tesouros que os céus nos concedem
São águas cristalinas
que matam nossa sede
São porto seguro
onde podemos encostar
nossa cabeça cansada para dormir
e até chorar...
Mas o destino, esta menina brincalhona,
não guarda mágoas...
E novamente nos presenteia
com mais um tesouro...
Pode ser ouro, um brilhante,
um rubi, ou outro qualquer...
Mas sempre teremos mulheres
a nos encantar
Algumas iluminando, outras brilhando
Todas nos amando
Mulheres de minha geração:
É um enorme prazer dividir este espaço
E este tempo com vocês
Que Deus as ilumine sempre