MENINOS  DE RUA

 Fafa Lima

 

Meninos de rua...

Que andam por caminhos

Que correm perigos

Nos faróis nas esquinas

Que andam desiludidos

Das portas que batem

De não que recebem.

 

Meninos de rua...

Que voltam de mãos abanando

Da mesma forma que saíram

Com mais revolta e dor

Dos sonhos que se foram

Das estrelas que não viram...

 

Meninos de rua...

Que buscam riqueza

Fartura na mesa

Que sonham  alto

Que escondem cicatrizes.

 

Meninos de rua...

Que tentam  fugir

Das bocas de fumo

Das guerras de rua

Que sonham em ter

Um canto silencioso

Sem rajadas

Sem guerra

De armas mortais.

 

Meninos de rua...

Que tiveram seus sonhos

Arrancados do seu peito

Jogados na rua

Na noite tenta ganhar a vida

Na selva de pedra.

 

Meninos de rua...

Em suas melancolias

Nas suas amarguras

Anda por um mundo de ilusões

Esconde seus tesouros mais íntimos.

 

A busca da paz

A busca de um lar

A busca de uma cama

Para seu corpo descansar

Uma roupa para se agasalhar

Quando o frio chegar.

 

Meninos de rua...

Trombadinha ou mendigo tanto faz

Do inferno das ruas

Das noites em claro

Da fome  gritante

De quem é a culpa

Por ser assim

Por não ter um lar

Por não ter escola

Por não ter infância.

01-08-2003 

 

Meninos De Rua

Faffi...

 

Mais um semáforo

Mais uma paradinha

Mais uma criança

Pedindo pão

Pedindo dinheiro

Pedindo carinho

Pedindo amor

Marginais de rua?

Não sei !

O que sei é que  são crianças desprotegidas

sem carinho, sem amor

Que se drogam , se marginalizam

por não terem tido a sorte

de ter um lar...

Moço me da um dinheiro?

Por favor moço!

 eu não comi nadadinha ainda hoje

O semáforo muda de cor,

o moço sai com seu carrão

sem nem mesmo se importar

sem notar que aquele menino

tem no peito um coração....

mas o menino continua ali

até que alguém se lembre

de lhe dar um pedaço de pão.

02-08-2003 

 
 
 
 

MENINO DE RUA

Edu...

 

Um dia fui um menino de rua

Não tive mãe,

tampouco conheci meu pai...

Sentia-me livre e dono do mundo

Mas era dono de um mundo paralelo

Um mundo onde tudo de ruim

e de mal acontece...

Um mundo onde ninguém é dono de nada

Um mundo sem esperanças

Sem futuro, sem alegrias

Não sabia como viver diferente

Até que um dia um moço elegante

Que se dispôs a me tirar daquele mundo

e sem nenhum interesse me deu a mão

Aquele moço elegante hoje é meu amigo

Me tirou daquele mundo paralelo

e me apresentou ao mundo que agora vivo

Me deu a mão, me ensinou o caminho

E me ajudou a dar os primeiros passos

Me ensinou a ser gente...

Hoje sei sorrir, sei orar, agradecer

Mas ainda me sinto triste

Por saber que muitos meninos

ainda precisam de outras mãos

para saírem daquele buraco

Muitos meninos de rua estão esperando

sua mão para aprenderem a caminhar

com seus próprios pés.

Há um grito mudo correndo pelas ruas

Um grito que não sai do peito

dos meninos de rua

Esperando que este grito atinja

o seu coração

Para fazer deste mundo

um lugar melhor pra se viver

Pois os meninos de rua

também são nossos filhos...

Amém