O MENINO QUE ERA ANJO

Eduardo Baqueiro

 

Era uma noite fria e chovia, voltava de meu trabalho em meu carro. Resmungava achando ruim do trânsito, estava atrasado para ver meu programa favorito.

Parei em um sinal e um pivete bateu no vidro da porta, eu já tirava algumas moedas do bolso para  não ver mais um rosto. Abri o vidro quase sem olhar para o tal pivete e já lhe entregara o conteúdo de moedas que tinha em  minha carteira.

O garoto em tom suave me falou assim: moço, eu não quero seu dinheiro, quero apenas lhe  avisar que houve uma batida logo ali e que o senhor  deve tomar outro caminho  e te desejar uma feliz  noite.

Aquelas palavras soaram como um tiro no peito. Eu estava preocupado em chegar em casa e ignorava meu mundo. Mas aparece um anjo para me auxiliar  e me dar uma boa noite.

Olhei novamente para aquele pivete e vi que era uma criança. Perguntei o que ele estava fazendo debaixo daquela chuva. Ele me disse em um tom natural que não tinha para onde ir e resolvera ajudar. Que era o máximo que ele podia fazer.

Parei meu carro no estacionamento e sentei na calçada com aquele anjo de pés sujos mas de um coração que jamais vira. Perguntei-lhe se tinha fome e uma resposta afirmativa me veio daquele menino de rua. Saímos dali e fomos a um bar próximo e comemos um lanche.

Conversamos sobre suas coisinhas e seus sonhos. Era uma criança simples, que não desejava muito, que gostava de repartir suas poucas coisas com aqueles que tinham menos que ele.

Aquele pivete fez em mim o que o mundo  não conseguiu. Tocou fundo meu coração. Hoje ele não precisa mais de viver na rua. Tem seu lar e sua própria família e é feliz. É feliz de tal forma que não compreendia  e aprendi com aquele menino de rua.

A felicidade  não é quanto, nem quando e tampouco como. Ela simplesmente é, ela está ao nosso lado e não precisamos de preparo para sermos felizes. Podemos ser felizes agora, do jeito que somos, do jeito que estão as coisas.

Aquele menino que é um anjo ainda ensina a todos que cruzam seu caminho, lições simples de amor e fraternidade. E eu agradeço a Deus a oportunidade que tive de conhecer aquele  anjo em uma noite fria e chuvosa.