Idade de minha vida
Eduardo Baqueiro
 
 
 
Olho no espelho e vejo uma criança...
Uma criança carente que não esgotou
toda inocência que a infância presenteou
Sinto saudades...
 
Novamente olho no espelho
e vejo o jovem renascendo, forte e esbelto...
Trazia na mala seus sonhos
Queria abraçar o mundo, conquistar a felicidade!
 
Ainda uma vez fixo meu olhar
e o jovem se transforma no homem...
Um homem que corria atrás de suas realizações
No peito a certeza que chegaria ao destino!
 
Mas o espelho revelou a verdade
O homem cansou e desiludiu-se, chorou...
No lamento reconheceu seus erros,
Estacionou e procurou Deus
 
Encontrou-o no sorriso inocente de uma criança
No olhar do jovem que não viu o tempo passar
No choro dos homens cansados e desiludidos
Encontrou-se com Deus dentro do próprio coração!