Grilhões

Eduardo Baqueiro

 

Sou um viajante das estrelas, sou herdeiro das galáxias e, como herdeiro, reclamo minhas posses! Esqueço-me de meus compromissos, assumidos e não cumpridos. Tenho plena consciência de meus erros.

Mas, assim como você, eu tento me enganar. Tento enganar o que não se engana, corro atrás daquilo que corre mais que minhas pernas. Isso, às vezes me cansa. Meu corpo imperfeito não suporta. Uma melancolia me invade o peito.

Desejo não existir, me apagar, sumir e, nessas horas, esqueço-me  de meu Pai, torno-me mesquinho em pele de cordeiro, tento não compreender o que já sei, desejo me arrastar na lama, desejo tornar a ser um verme, talvez assim seja mais útil!

 Esqueço-me de minhas origens, ignoro meu futuro e desejo uma herança que não mereço. Grito, Ninguém me escuta, grito novamente, apenas um eco como resposta. Revolto, choro, não desejo nada, quero apenas sofrer.

Talvez amanhã veja a luz no fim do túnel, talvez. Por que somos assim?Tão mesquinhos, tão pequenos. Reclamo sim, e daí? Hoje é meu dia! Quero chutar o balde, ser mal educado, furar uma fila, quero ser vaiado, menosprezado, odiado.

Somente assim aprenderei. Somente assim poderei ver-me no espelho e ter coragem para prosseguir adiante. Somente assim continuarei a te amar.