Êxtase 2
Eduardo Baqueiro
 
 
Esta noite sonhei com você
Acordei com enorme desejo
O sonho fora tão real
que me fiz explosão,
o desejo ainda estava no ar...
Fiquei a imaginar você, ali do meu lado,
deitada, dormindo...
Encostei minha boca na sua
sentindo a respiração.
Minha língua, inquieta,
contornava sua boca.
Meu corpo estremecia,
numa vontade louca de apertá-la,
Deixando que minhas mãos a acariciassem...
Passava minha mão entre suas pernas,
vagarosamente.
Você gemia bem baixinho!
seu sono ainda era mais forte
que o desejo que nascia em seu corpo.
Minha mão atingiu o extremo de suas coxas,
começou a brincar com seu sexo...
Sua mão, alerta, alisava meu sexo,
Eu brincava com seu sexo,
você brincava com meu sexo,
numa troca de carinho delicioso...
Minha boca contornava seus seios,
minha língua molhava seu corpo.
Mordia o bico de seus seios,
vagarosamente...
Meus carinhos eram correspondidos
por seus carinhos.
Segurava meu sexo num ritmo constante,
ás vezes soltava,
procurando outras posições.
Você gemia, agora mais alto,
sentia sua respiração mais intensa...
Chupava sua língua,
desejava engolir sua boca,
já não mais me controlava...
Nossos instintos comandavam nosso show
na busca de maior prazer.
Dizia-me para não parar,
que se sentia cheia de desejos...
Minhas mãos em suas coxas
sentia sua pele arrepiada.
Como uma loba no cio,
pronta para se entregar...
Minhas caricias aumentava seu tesão...
Meu dedo invadiu seu sexo,
senti sua temperatura...
Estavas a ponto de explodir em chamas.
Implorava pra que a penetrasse.
mas desejava prolongar nossas caricias.
Me chamava de seu homem,
eu a chamava de minha fêmea!
Ficávamos cada vez mais em êxtase...
Desejava sentir seu corpo todo,
sentir seus seios em minhas mãos,
ouvir seus gemidos.
Imploravas para que a fizesse minha...
Então a penetrei abraçando-a por trás,
senti seu corpo estremecer.
Desejava possuí-la eternamente,
desejava ouvir seu choro de menina...
Meu sexo estava todo dentro de você.
Mas eu queria mais,
desejava ouvi-la alem dos gemidos.
Desejava admirar seu corpo.
Coloquei-a de quatro
Sentia-me um animal sem controle
penetrava-a num ritmo alucinante.
Me deliciava vendo-a naquela posição
perdida, entregue, sem controle.
Desejando ser possuída e querida.
Sentia um calor percorrendo meu corpo,
explodi dentro de você
Mas você pedia para não parar...
Pedia para continuar aquele vai e vem
Dizia que era só minha,
que era minha menina...
minha mulher...
Extasiada, gemia e estremecia todo corpo,
gozando e chorando de prazer.
Ate sentir seu corpo parar,
se acalmar, relaxar.
Coloquei-a em meus braços,
num beijo malicioso prometia
que esta noite seria uma viajem
 de amor e prazer,
sem hora para terminar.