Esperança
Eduardo Baqueiro
 
 
Já vi muita coisa nesta minha vida...
Vi crianças sem infância se tornarem
bandidos e viciados...
Vi meninas sem esperanças
se tornarem prostitutas...
Vi esposos judiarem
e assassinarem suas esposas...
Vi mãos usadas para destruir...
Vi um caminho cheio de injustiças
e arbitrariedades...
Pensei ter visto tudo que o homem podia
realizar para destruir e prejudicar...
Mas tinha me esquecido
das atrocidades da guerra...
A guerra estúpida e inválida..
Um espetáculo onde o homem
não significa nada...
É usado apenas para fins escusos...
Soldados, ainda crianças,
morrem aos montes...
Morrem sem saber porque... 
Deixando apenas um vazio nos
corações da família...
Tornam-se heróis de uma guerra inútil...
Tornam-se mais um número
nas estatísticas... 
Mas também vi mãos socorrerem
os necessitados
Vi o perdão nascer de onde
não havia esperança
Assisti estranhos preocupados
com o bem estar de seu vizinho
Conheci pessoas preocupadas
com o futuro das suas crianças
e das crianças de seu próximo
Presenciei lágrimas de  esperança
Vi que, apesar de tudo,
a esperança ainda está presente
nos corações humildes...
A esperança é a semente do futuro!
Compreendi que o homem caminha
experimentando e aprendendo
Por isso são perdoados os erros
e atrocidades e não interfiro...
Entendo que o aprendizado é lento
E somente o tempo poderá vir em socorro
das almas em agonia...
Mas quantas mortes e quantos lamentos
ecoarão na terra até que a fraternidade
se estabeleça nos corações dos homens?
Choro junto a cada coração em desencanto
Lamento pelas dores da ausência
Sofro ao ver minhas crianças chorando
A terra já seria um paraíso
Se, nos corações dos homens, houvesse
um lugar para o amor