Divagações

Eduardo Baqueiro

 

Sou espiritualista.

Tenho certas convicções

que me deixam tranqüilo quanto

ao meu futuro, e ao futuro da humanidade...

 

O futuro é um caminho estreito que teimamos em desviar.

Fechamos nossos olhos à espera de milagres

Sabendo que, no fundo, o milagre não virá...

O futuro será o fruto de nosso trabalho e

de nossos esforços para uma vida melhor...

 

Diante desta convicção, minha mente divaga...

Me sinto impotente para aplicar, na prática,

Aquilo que tenho aprendido na vida...

Eu não sou nada além de uma peça no jogo da vida..

Sózinho não sou ninguém, não faço nada,

não aconteço!

 

Faço parte de uma corrente onde sou apenas um elo,

Talvez o mais fraco, por conhecer meu destino

E saber que o caminho é difícil e longo...

Queria ser mais do que sou!

 

Não pelo simples fato de ser melhor que alguém

Quero ultrapassar meus próprios limites

Quero crescer de dentro para fora

Quero que esta angústia termine

Quero ser feliz sem condições...

 

Carrego dentro de mim sonhos que jamais

se realizarão

Mas eles são parte de mim

e me mantêm no caminho que insisto em prosseguir...

 

Às vezes me acho um tolo neste vazio de sombras

Mas também tenho consciência de que estou caminhando...

Os espinhos que encontro no caminho

São os mestres me indicando onde preciso melhorar...

 

Meu inimigo se transforma no meu parceiro

Sempre apontando minhas falhas,

Corrigindo minha rota,

Transformando minha vida para melhor...

 

No final veremos que o mal não existe,

São momentos que acontecem

para nos impulsionar para o futuro

Para uma vida melhor...