Desencontro
Eduardo Baqueiro
 
 
Amo a lua
Tu amas o sol
Gosto do silêncio
O silêncio te assusta
Tenho como refúgio uma caverna
Tu te choras e procura minha companhia
Você é rosa e eu sou vermelho
Quando somos primavera nos desencontramos
Mas no verão nos reencontramos
Quando sou tempestade, você é calmaria
Você é o mar, silenciosa e forte
Suas ondas me embalam
nos momentos difíceis
Sou o lobo solitário, sempre te procurando
Somos um casal que ainda
não aprendeu a ler nas entrelinhas
Encontros e desencontros, somos assim...
Mas não vivo sem você
Eu sou um lobo que ama o mar
Você, um peixe que vive fora d´água
O amor é assim, sem lógica, sem nexo
Mas me faz um bem tão grande!
Talvez seja por isso que te amo assim
Sempre sentindo tua falta
Sempre te esperando
Sempre te querendo...