Busca Interna
Eduardo Baqueiro
 
 
O tempo passou tão depressa
E hoje, olhando no espelho,
Vejo algumas rugas
E alguns cabelos brancos.
 
Até agora você era culpada
por esses estragos em meu corpo
e pelos estragos maiores em minha alma.
 
Mas hoje o espelho me revela a verdade.
Minhas dores não são tua culpa,
apenas são dores que trago no peito
pela tua ausência.
 
Perdi você
e, junto, perdi uma parte de mim mesmo.
 
Andei perdido,
sempre te culpando pelas minhas dores
e hoje o espelho me diz que é hora de parar.
 
Hoje, eu acordo de meus pesadelos.
Hoje, eu quero sonhar,
quero matar as minhas dores,
que não são suas,
são somente minhas.
 
Perdoe-me, querida, pelas minhas faltas
e pelos meus excessos.
 
Hoje, o espelho me ensina a dura realidade.
Devo aprender a andar com meus próprios pés.
 
Hoje, deixo tua alma em paz
e me separo, em definitivo, de você.
 
Seja feliz.