Para Alexandre

Eduardo Baqueiro 

 

Há períodos em nossas vidas em que acontecem oportunidades que não retornam mais.

O tempo e as oportunidades que passaram não se recuperam mais.

Tenho 44 anos... muita coisa fiz nesta vida e muitas coisas deixei de fazer, por achar que poderia fazer a qualquer momento, e você, filho, foi umas das coisas que deixei para depois.

Hoje você esta crescido, já é um homem e nós não curtimos um ao outro como deveríamos e perdemos, com isto, a mágica dos bons e maus momentos.

Você cresceu de uma forma que não vi e não senti, de repente você  apareceu na minha frente, maior que eu próprio, dizendo adeus...

Ia tomar conta da sua própria vida e eu fiquei perdido.

Não tive muitas oportunidades de te dizer algumas coisas do coração, sabe como é, depois eu digo, e ficou este vazio entre nós.

Não tive tempo de crescer com você, não brinquei com você quando poderia, nem te levei na escola nas oportunidades que tive, sabe como é, depois eu te levava.

Não te levei ao Mcdonald's e ao Bob's o quanto deveria, não comemos tantos hambúrgueres quanto poderíamos.

 Não tive tempo de passear com você enquanto você me achava o máximo, enquanto eu era seu super herói.

Sabe como é, depois a gente ia.

Não te levei o suficiente ao playcenter, ao shopping, não tomamos todos os sorvetes que poderíamos ter tomado.

Não compramos todas as roupas que poderíamos comprar.

Você cresceu sem que se esgotasse, em nós, todo afeto e carinho.

Chega o momento em que só me resta ficar de longe, torcendo e rezando muito para que você acerte nas escolhas, em busca de tua própria felicidade, e que a conquiste do modo mais completo possível.

Desejo que minhas palavras não sejam em vão e que sirvam para você, Alexandre, e outros filhos que ainda vão ser pais e mães...

 Que vocês aproveitem o tempo... o máximo possível e se dediquem a seus filhos, como se cada dia fosse o último que estivessem com eles, para que amanhã vocês não sintam falta de um tempo que não volta mais.