Abstroncânsia

Eduardo Baqueiro

 

Nasci na década de 50...
Tempos tumultuados, dias de incertezas,
Mas havia algo no ar que não mais existe.
Tínhamos esperança de que algo precisava acontecer..
Não tínhamos certeza, mas corríamos atrás.
Não havia muito recurso, eu sei,
Mas havia uma força em cada um de nós
que não nos permitia parar.
Tínhamos amigos perfeitos,
não tínhamos medo, queríamos caminhar...
Foi uma época, chamada de era mágica pelos jovens de hoje,
pela vontade, acima de tudo, de prosperar e superar...
Vimos surgir, no nosso tempo, 
o que de melhor a humanidade desfrutou:  
Os melhores conjuntos musicais,
Beatles, Bee Gees, Rolling Stones...
Os melhores presidentes que o mundo já viu,
John Kennedy, Juscelino Kubistchek...
A mulher conquistou melhores espaços
na sociedade...
O homem chegou até a lua...
Os computadores,
que são hoje uma ferramenta indispensável
em qualquer área da sociedade... 
Diversos heróis que nos ensinaram que,
lutando, realizaríamos nossos sonhos.
Na era mágica surgiu o que de melhor
a humanidade conquistou.
Hoje eu ouço algumas pessoas dizerem que gostariam
de ter vivido naquela época e lamento.
Lamento porque a era mágica não acabou,
aliás ela nunca existiu.
O que aconteceu é que o homem
deixou de lutar por ele mesmo...
Se acomodou.
Tem medo...
Parece que não deseja mais conquistas.
Esqueceu-se de como é bom se esforçar
e conquistar seu próprio espaço.
Minha geração anda triste.
Está vendo os jovens de hoje a procura
de caminhos mais fáceis, se iludindo...
Sabemos, pelo que já vivemos,
que assim não chegarão a lugar nenhum.
Não aprenderam com nossos erros...
Há um grito de lamento que ecoa em nossos corações...
Um grito de socorro para esta nova geração
que se encontra perdida no mundo das drogas,
nas jogatinas, na prostituição, no esquecimento...
Gostaria de ver novamente o amor ser mais
importante que o trabalho,
mais importante que o dinheiro,
Ser a meta principal do ser humano..
Gostaria de ver a era mágica renascer
no coração de cada um de nós...
Com todos seus defeitos e loucuras!
Quem sabe, assim, 
a humanidade voltasse a ter esperança
e tornasse a lutar,
a construir mundos e sonhos que explicassem,
como naquela época, o porquê de estarmos aqui! 
 
 
(Abstroncânsia não se encontra no dicionário,
palavra utilizada por alguns amigos meus
para definir as loucuras de nossa geração)